ACT COPEL 2018/2019 : Proteja seus direitos, proteja seu sindicato!

Nas negociações do ACT 2018/2019, a primeira proposta salarial apresentada pela Copel, no dia 13 de setembro, foi de abono de 0,25 da remuneração básica, mais o valor linear de R$ 2.261,27. A proposta inicial corrigia o Auxílio alimentação e o vale-lanche por menos do que o INPC e previa o fim da 13ª parcela do auxílio-alimentação sem abono compensatório.

Já pensou quanto cada copelianos perderia se a proposta ficasse assim?

A proposta inicial foi rejeitada em mesa pelos sindicatos. Só depois de muita insistência das entidades sindicais e da resistência dos copelianos, conseguimos que chegasse onde chegou: 0,6 da remuneração fixa, mais o valor de R$ 4.702, e também o abono linear extra de R$ 860,00 como compensação pela mudança de pagamento do 13º Auxílio-alimentação.

Sem sindicatos, quanto cada um teria perdido?

Não caíram do céu benefícios conquistados em negociações no correr dos anos, como o Auxílio-creche e agora também Auxílio-babá; Adicional de férias; Auxílio-educação; Vale-lanche; Antecipação de 13º salário; Remuneração de horas-extras além do previsto em legislação; Auxílio a pessoas com deficiência; Assistência jurídica aos empregados por situações em serviço; Abono de férias; Direito de fracionamento de férias em até três períodos, a quem desejar, etc. Foram conquistas negociadas pelos sindicatos. Sem eles, não existiriam!

As atividades sindicais têm gastos. São despesas com a realização das negociações (viagens, hospedagem, alimentação), informações aos trabalhadores, assistência jurídica e defesa de direitos quando são ameaçados pela empregadora ou por medidas governamentais. A lista é grande.

Em anos anteriores, a empresa incluía na proposta negociada no ACT o pagamento de um valor equivalente a dois dias de trabalho de cada empregado em favor dos sindicatos. Nessa situação, os sindicatos não descontavam nenhum valor dos copelianos como Contribuição Assistencial. Esse ano isso não entrou na proposta. Por essa razão os sindicatos estarão descontando a Contribuição Assistencial equivalente a um dia de trabalho de cada empregado.

Essa arrecadação vinda de um dia de trabalho de cada um é vital para manter os sindicatos. Já será metade da arrecadação de anos anteriores. Sem ela não há sobrevivência das atividades sindicais.

A Contribuição Sindical será cobrada de associados e de não associados, já que o benefício das negociações realizadas pelas entidades sindicais se estendem à todos.

Há entendimentos no judiciário e no Ministério Público do Trabalho de que só tenha direito aos benefícios oriundos de negociações sindicais o trabalhador que contribuir com as atividades sindicais. Por isso aprovamos esse desconto em assembleias e não será acatado nenhum pedido para que não seja efetuado.

Os sindicatos fazem um apelo à consciência de cada um, em favor da Contribuição Assistencial. Não contribuir significa desvalorizar os sindicatos e deixar de reconhecer sua importância. Mas no futuro pode significar perder muito mais que isso. Basta pensar o quanto já se teria perdido esse ano, sem sindicatos negociando.

VAMOS GARANTIR NOSSA LUTA. ORGANIZAÇÃO É FUNDAMENTAL! PARTICIPAR É FUNDAMENTAL! VOCÊ É FUNDAMENTAL!